Temas

O que é o Jogo da Baleia Azul?

Os desafios diários são lançados a adolescentes deprimidos; o propósito final é o suicídio. De jogo só tem o nome.

É profundamente perturbador o que se tem lido em jornais e publicações online sobre a mais recente moda entre os adolescentes. Chama-se Jogo da Baleia Azul e é tudo menos um jogo para passar o tempo.

O ‘jogo’ consiste em 50 desafios que são lançados aos adolescentes via redes sociais ou Whatsapp. Não é claro como é que esta cadeia chega a uma pessoa em particular. O desafio final consiste no suicídio, que se vai aproximando depois de concluir algumas tarefas que vão desde um pedido simples à automutilação.

Os desafios são atribuídos por um “curador” que, logicamente, não é conhecido. Ao que consta, todo o processo implica uma pressão psicológica tal que o adolescente se sente em pânico caso sequer pense em não cumprir os desafios propostos. Por cada um deles, é obrigado a enviar uma fotografia ou um vídeo. As ameaças à integridade física dos jovens mas sobretudo em relação às suas famílias pesa na escolha de continuar a jogar.

O jornal brasileiro Globo teve acesso a uma dessas mensagens recebida por um jovem de 22 anos: “Caso nos bloqueie ou nos ignore, mandaremos o seu número ao nosso chefe. Ele vai pegar nos seus dados e descobrirá o seu nome.”

De acordo com o mesmo jornal, as tarefas impostas implicam tanto coisas simples como desenhar uma baleia azul num papel como sugestões grotescas; como desenhar a mesma baleia azul mas no corpo com uma lâmina. Os sites brasileiros dão ainda conta de provas como ver filmes de terror durante toda a noite e depois ter de responder a perguntas sobre eles, acordar às 4h20, subir a telhados ou “ficar doente”.

Aos adolescentes é incutida a ideia de que “as melhores coisas da vida começam com a letra S: semiya (família), Sábado, Sexo, Suicídio.”

No vídeo acima é comentada a detenção do suposto administrador deste grupo, Phillip Budeikin, de 21 anos. Depois de ter sido preso, os casos de automutilação e suicídio terão diminuído, mas o jogo continua ativo. Phillip foi acusado de organizar oito grupos entre 2013 e 2016 que promoviam o suicídio.

Photo: The Siberian Times

As notícias dão conta de duas mortes na Rússia – duas raparigas, de 15 e 16 anos, que se atiraram de um prédio de 14 andares depois de terem feito publicações nas redes sociais que incluíam uma baleia azul – e de uma crescente e assustadora participação de jovens brasileiros. Muitos casos de suicídio adolescente têm sido relacionados com o jogo, embora não existam provas irrefutáveis. Numa entrada da Wikipedia dedicada ao jogo, contam-se algumas histórias de jovens que se mutilaram e que apontaram as culpas ao jogo. Em Portugal, uma jovem de 18 anos terá saltado de um viaduto no Algarve e foi encontrada com vários ferimentos.

Na internet surgiram boatos sobre o nome Baleia Azul ser uma alusão ao carácter suicida destas baleias que nadam em direção às praias onde depois acabam por morrer, mas os biólogos já negaram essa teoria sobre as baleias.

No Brasil surgiu já o movimento Baleia Rosa que pretende lutar contra este jogo, através de novas tarefas; desta vez, tarefas do bem.

 

Buzz do momento