Temas

Rui Sinel de Cordes sai do Facebook: “Fazer humor nas redes sociais tornou-se no desporto mais radical da história”

Conhecido pelo humor negro, Rui Sinel de Cordes diz-se ofendido e considera as redes sociais “um manicómio”.

Rui Sinel de Cordes é fortemente criticado nas redes sociais pelo humor negro que distribui sobre os mais variados assuntos. Mas para o humorista o Facebook deixou de ser um sítio ideal para fazer humor e dar o “benefício da dúvida” ao público que aí o segue.

Depois do massacre de Orlando, Rui Sinel de Cordes publicou no Twitter:

RuiSineldeCordes_atentadoOrlando

As reações não se fizeram esperar, com muitos a criticarem o timing do humorista, quando o atentado que matou 49 pessoas ainda está tão quente.

Perante um mar de opiniões, o humorista achou que já bastava de ataques no Facebook e escreveu um texto explicando por que sai daquela rede social:

“Fazer humor nas redes sociais tornou-se no desporto mais radical da história. É o mesmo que entrar num manicómio e esperar ter uma conversa normal com os doentes. É loucura. Um manicómio que define o que pode ou não ser dito. Fizeste uma piada? Demasiado cedo. Não tem piada. Ofende-me. O ângulo é sobre o oprimido, por favor apaga e faz com o ângulo sobre o opressor. Mata-te”

“[Ter o beneficio da dúvida de] assumir que têm inteligência e estrutura emocional para compreender uma piada. Tratei-as online, como as trato ao vivo. Meu deus, que ingenuidade! As redes sociais hoje em dia são depositórios de raivas, frustrações, falhanços pessoais e ódios mesquinhos”, concluiu.

Desiste do Facebook mas o Twitter continuará ativo. É aliás por aí que o humorista tem encaminhado os fãs e os não-fãs para o texto que partilhou no Facebook mas que foi entretanto apagado e que só pode ser encontrado no seu site.
“O que eu quero dizer a estas baratas digitais é que com estas regras, eu não quero brincar. Neste lodo, eu não vou brincar mais. Eu saí do manicómio. Mas vocês, fiquem. Fiquem com os humoristas on-demand. Fiquem com os plagiadores, fiquem com a baunilha. Fiquem com músicas estéreis, fiquem com piadas respeitosas. Fiquem com o standard, com o banal, com o igual. Fiquem com os humoristas moralistas. Vocês merecem-se.”

Buzz do momento