Temas

Mensagens de muçulmanos anti-terrorismo estão a tornar-se virais

Muçulmanos de todo o mundo têm estado a carregar vídeos e mensagens condenando os ataques em Paris.

Estigmatizar a religião muçulmana associando todos os seus fiéis ao grupo jihadista que atacou Paris não me parece a atitude mais justa. Infelizmente, ainda há quem não consiga dissociar a maldade dos conceitos.

Por isso mesmo, muitos muçulmanos em todo o mundo estão a carregar vídeos nas redes sociais mostrando-se contra as ações destes grupos extremistas que tornam a sua religião um crime.

Cinco rapazes do Paquistão carregaram um vídeo em que garantem não perdoar os ataques a Paris e em que dizem que “não podem ser culpados por causa de uma série de indivíduos dementes que dizem ser como nós”. Eles explicam todas as razões por que são iguais à maior parte das pessoas do mundo. Eles chegam mesmo a referir-se aos muçulmanos como “as maiores vítimas do terrorismo” e que “é fácil culpar os refugiados” da Europa pelos ataques mas que também eles “estão a fugir das pessoas responsáveis pelos ataques.”

 

To Paris, From PakistanPlease share it as much as you can so it reaches the people in Europe!#PrayForParis…

Posted by Pakistani Comedians on Sunday, 15 November 2015

 

Um muçulmano de Singapura agradeceu também no seu Facebook a todos os não-muçulmanos que perdem tempo a explicar ao mundo que os ataques foram levados a cabo por um grupo de extremistas e que não correspondem em nada à comunidade muçulmana anti-terrorismo e que sofre represálias.
O post foi partilhado mais de 40.000 vezes.

 

I want to thank well-meaning non-Muslims who, in the wake of these attacks, have emphasised that they have been carried…

Posted by Sulaiman Daud on Saturday, 14 November 2015

 
 
 
E que dizer do vídeo do rapaz muçulmano que se prestou a dar abraços na Praça da República com a pergunta: “Sou muçulmano e dizem-me que sou um terrorista. Eu confio em ti, tu confias em mim?”

muçulmano
Mais de 90.000 publicações, muitas delas feitas por muçulmanos, usaram já a hashtag #NotinMyName para se mostrarem contra os ataques perpetrados por jihadistas em Paris na última sexta-feira. A hashtag apareceu pela primeira vez no ano passado para denunciar o extremismo justificado em nome do Islão.

O site www.noussomesunis.com reúne testemunhos, imagens e citações dispostas a mostrar ao mundo a Fraternidade em que o povo francês acredita. A adicionar a isso, o vídeo com o mesmo nome vem provar que os franceses não têm medo e que estão a carregar ativamente no YouTube.

A comunidade muçulmana está empenhada em ultrapassar o estigma, provando ao mundo que é mais do que um grupo de extremistas.

Buzz do momento