Eléctrico

Samuel Úria com Joana Espadinha – Leva me a Dançar

No ano em que a Antena 3 celebra 25 anos, a rádio leva a música portuguesa ao vivo ao canal da RTP1, com o novo programa Eléctrico. Duas bandas frente a frente em cada episódio.

Episódio completo aqui

No segundo episódio, Samuel Úria partilha palco com B Fachada. Dois músicos que se conhecem bem e que há 10 anos atrás estavam a fazer canções na mesma editora, a FlorCaveira. Seguiram caminhos diferentes, mas tornaram-se duas referências essenciais, da última década, enquanto escritores de canções em português.

Samuel Úria, grande colecionador de palavras e de figuras de estilo. Não foge à regra no seu último EP Marcha Atroz, que é também apresentado no Eléctrico. Úria trouxe consigo a convidada especial Joana Espadinha e cantou ao seu lado um dos hinos de 2018, a canção “Leva-me a Dançar”, que Joana compôs para o seu disco O Material Tem Sempre Razão.

B Fachada conta com uma extensa discografia. Entre 2008 e 2014 gravou 10 discos. Para o Eléctrico, Henrique Amaro sentou Bernardo Fachada a um piano branco. O cantautor convocou para o Eléctrico um coro de amigos para recordar “Tó-Zé”, uma das suas canções mais simbólicas. O coro contou com as vozes de Benjamim, Primeira Dama,  Lourenço Crespo, Mané Pacheco, Maria Reis, Miguel Abras, Moxila, Sallim e Sara Graça.

Nos próximos episódios, contem com as presenças de Sara Tavares com Selma Uamusse, Capitão Fausto com Luís Severo e David Fonseca com Joana Espadinha.

Todas as quintas-feiras, pelas 00h30 na RTP1 e aos domingos, às 21h, na Antena 3.

Galeria de fotos: Catarina Peixoto

Atuações

Ensaios e Backstage


Eléctrico é um programa semanal de música ao vivo dedicado à música portuguesa e com curadoria da Antena3.

Partindo de um modelo de divulgação, o alinhamento artístico pretende revelar publicamente esta geração emergente e provocar afinidades entre músicos.

Uma coleção de 12 episódios, destinados à RTP1 com apresentação de Henrique Amaro e Vanessa Augusto, realizado por André Tentugal e gravado pelo produtor Nelson Carvalho.

Gravado ao vivo e em alta definição no Teatro Capitólio, em Lisboa, este modelo irá colocar frente a frente 2 bandas por programa.