Especiais

Era Uma Vez a Expo #1

A 22 de maio de 1998, Lisboa foi palco da Expo’98. A exposição mundial, que teve como temática Os oceanos: um património para o futuro, esteve presente no Parque das Nações, durante cerca de 4 meses, a reboque das comemorações dos 500 anos dos Descobrimentos Portugueses.

O recinto recebeu cerca de 11 milhões de visitas, com coisas novas a acontecerem todos os dias, desde o teatro, dança, música, literatura ao circo. Foram 160 países e organizações a participar neste grande encontro, que promoveu os oceanos e a inovação, ao longo de 132 dias.

20 anos depois, em 2018, a Antena 3 recorda a Exposição Internacional de Lisboa de 1998.

De 22 de maio até 30 de setembro (período em que a Expo esteve aberta ao público em 1998), a Antena 3 vai recordar alguns momentos da exposição mundial com a rubrica Era Uma Vez a Expo. De segunda a sexta-feira, às 10h30 e 16h30 na Antena 3.

Queremos ainda conhecer as memórias e as experiências dos nossos ouvintes na Expo’98. Envia-nos as tuas histórias, fotografias e vídeos para o email expo3@rtp.pt, com o teu nome, a tua história e um contacto telefónico para posterior contacto da produção da Antena 3.


23 de Junho de 1992: a Expo vem para Lisboa

Hoje vamos voltar ainda mais atrás. Vamos até 1992… 23 de Junho de 1992, o dia em que o Bureu Internacional de Exposições escolheu Lisboa para organizar e receber uma Exposição Mundial no ano em que se celebrariam os 500 anos dos Descobrimentos portugueses.

23 de Junho é só amanhã, mas porque amanhã é sábado, lembramos hoje essa data. Também ainda não existia Antena 3, mas havia Antena 1… e foi assim que a Antena 1 deu a notícia…

Miguel Arsénio: uma visita com estrondo

Estas nossas visitas ao Pavilhão do Passado vão seguindo um novo trajecto.

Ontem, começámos a ouvir os protagonistas da Expo 98, as pessoas que fizeram a Exposição Mundial de Lisboa, que lá trabalharam e que lá viveram os dias da Expo. Hoje, começamos a ouvir os outros protagonistas: os visitantes. A partir de hoje, ouvimos também as estórias e as memórias de quem visitou a Expo 98. As vossas memórias… as histórias que vocês nos foram enviando nas últimas semanas.

E o primeiro ouvinte a contar-nos a sua aventura na Expo 98 é o Miguel Arsénio… que protagonizou uma visita com estrondo…

As memórias do ouvinte Miguel Arsénio: o primeiro testemunho dos ouvintes da 3,

Se também tiverem estórias para partilhar, enviem-nos um mail para expo3@rtp.pt, que nós depois ligamos para gravar as vossas histórias.

20 anos depois: João Brites (1ª parte)

Hoje, a nossa viagem ao Pavilhão do Passado segue por um novo caminho…

Hoje começamos a ouvir os protagonistas da Expo 98, as pessoas que há 20 anos fizeram a Exposição Mundial de Lisboa… e que agora recuperam essas memórias com duas décadas.

O primeiro a fazê-lo é… João Brites.

O Daniel Belo conversou com o homem que Mega Ferreira escolheu para a gigantesca tarefa de coordenar todos os espectáculos que aconteceram nos meses da Expo. Uma missão que no início parecia quase impossível.

Uma visita ao Pavilhão da Alemanha

Entre Maio e Setembro de 1998, a Exposição Mundial de Lisboa abriu as portas a 143 países.

Nestas visitas que fazemos diariamente ao Pavilhão do Passado, voltamos a parar em mais um dos Pavilhões nacionais da Expo 98.

Hoje visitamos um dos mais procurados de toda a Expo… o Pavilhão da Alemanha, com a reportagem do jornalista Sérgio Alexandre.

Era uma vez a Rádio Expo

Mais uma semana, mais uma viagem ao Pavilhão do Passado.

Hoje, nesta viagem radiofónica, sintonizamos outra rádio. Uma rádio que só existiu durante a Expo 98. Uma rádio criada pela RDP, para levar a Exposição Mundial de Lisboa a todo o país. Uma rádio que serviu também para testar novas tecnologias, novos equipamentos, novos estúdios, novas vozes…

No dia em que arrancava a Expo 98, era apresentada assim a Rádio Expo…

Rola a bola no relvado da Expo

Esta semana, começámos a visita ao Pavilhão do Passado a falar do Mundial de futebol de 1998, que por coincidência começou a 10 de junho, Dia de Portugal e um dos dias mais concorridos da Expo 98.

Ora, hoje, dia em que Portugal se estreia no Mundial de 2018 na Rússia, voltamos a olhar para o Mundial de 98 em França… e para a forma como a Exposição Mundial de Lisboa aproveitou o Campeonato do Mundo de futebol para… dar a volta por cima…

Uma visita ao Pavilhão da Coreia

Entre maio e setembro de 1998, a Exposição Mundial de Lisboa abriu as portas a 143 países — quase todos os países do mundo. Nesta viagem que fazemos diariamente ao Pavilhão do Passado, começamos hoje a visitar alguns dos pavilhões nacionais da Expo 98.

E começamos por um país de que muito se tem falado nos último tempos: a Coreia do Sul. O Pavilhão da República da Coreia (nome oficial do país) foi um dos muitos visitados pela reportagem da Antena 3. Há 20 anos, o jornalista Sérgio Alexandre fazia-nos assim o relato dessa visita…

Aquamatrix: o relato

Um dos ingredientes maiores da Expo 98 eram os seus momentos fixos: os Olharapos (que de manhã à noite deambulavam pela Expo), a Peregrinação (esse bizarro cortejo de criaturas e carros alegóricos que percorria a Expo ao final da tarde), e sobretudo o Aquamatrix – o espectáculo multimédia que servia de ponto final a cada dia da Expo 98.

Este grandioso espectáculo de apenas um quarto de hora era feito, diariamente, por 15 pessoas – uma ínfima parte dos cerca de 200 artistas e técnicos que, ao longo de ano e meio de preparação e quatro meses e meio de construção, deram à luz um dos pontos altos dos dias (aliás, das noites) da Expo 98.

Hoje, neste Pavilhão do Passado, trazemos uma proposta diferente. Hoje vamos assistir ao espectáculo… com o relato do seu criador, João Paulo Feliciano.

Senhoras e senhores… eis o Aquamatrix!

Água! Água por todos os lados!

“Os Oceanos – um património para o Futuro”. Foi este o mote da Expo 98. E ao longo de todo o espaço da Exposição Mundial de Lisboa, esse “futuro” estava presente e sempre visível. Fosse nos pavilhões dos países (que nos levavam a descer às profundezas dos oceanos), nos eventos diários (que nos contavam épicas histórias marinhas) ou até nos muitos jardins (que nos convidavam para todo o tipo de jogos aquáticos), a Água era a estrela da Expo.

Hoje, lembramos alguns desses espaços e desses momentos debaixo de Água. Hoje, damos um mergulho no mar… Um passeio pelos jardins de água e pelo pavilhão da Oceânia, com passagem pelo Aquamatrix.

Olhá bola, Gil!

Ontem foi Dia de Portugal… esta semana começa o Mundial de Futebol… mais ou menos o mesmo que aconteceu há 20 anos, na Expo 98.

Com uma pequena diferença: em 1998, o Mundial de Futebol começou exactamente no dia 10 de Junho, Dia de Portugal na Expo. Foi por isso um dia em cheio na Exposição Mundial de Lisboa. Que não ficou a ver passar a bola…

O dia em que os Xutos deram música à Expo

Hoje voltamos ao Dia de Portugal, ao 10 de Junho de 1998. Uma 4.ª feira em cheio, com centenas de espectáculos e concertos até dizer chega na Expo 98.

Um desses concertos havia de ficar na memória de todos aqueles que por lá passaram: o concerto dos Xutos & Pontapés, na Praça Sony. Foi o segundo concerto dos Xutos na Expo, depois de um primeiro em Maio.

Dias antes dos concertos, Zé Pedro explicava como ia ser… e o que queria ver na Expo 98.

O Dia de Portugal na Expo

A poucos dias do Dia de Portugal, começamos por aqui as celebrações do 10 de Junho… mas de 1998.
Há 20 anos, o Dia de Portugal foi um dos mais importantes na Exposição Mundial de Lisboa.

Em 1998, o feriado de 10 de Junho foi a uma 4ª feira. E a Expo tinha uma agenda recheada de espectáculos, concertos… e até o Mundial de Futebol serviu para atrair visitantes.

Hoje, espreitamos a agenda das comemorações oficiais do Dia de Portugal na Expo 98…

Comes e bebes

Estamos de volta à Expo 98 – a Exposição Mundial de Lisboa, que há 20 anos trouxe a Portugal o melhor da cultura de muitos países. E entre o melhor da cultura de muitos países está – claro – a gastronomia.

Numa altura em que restaurantes de cozinha estrangeira em Portugal eram coisa rara, a Expo 98 foi também uma montra do que de melhor se comia lá fora. E mostrou aos de lá fora o melhor que se comia por cá.

Hoje fazemos um pequeno roteiro dos comes e bebes da Expo 98…

O Festival dos 100 dias

Nas últimas semanas, temos estado a recordar os dias da Expo 98. Mas hoje, vamos recordar os dias antes… Mais precisamente, os 100 dias anteriores à Expo 98. 100 dias que, na verdade, foram um Festival…

Ao longo dos cerca de três meses que antecederam a Exposição Mundial, Lisboa recebeu uma série de eventos culturais, para preparar a cidade e abrir o apetite para a Expo 98.

Hoje, a nossa viagem no tempo vai até antes da Expo. Meses antes da Expo, era assim apresentado o Festival dos 100 dias.

A ópera “O Corvo Branco” (com música de Philip Glass, texto de Luísa Costa Gomes e encenação de Robert Wilson) foi um dos pontos altos do Festival dos 100 Dias, que animou Lisboa nos 100 dias antes da Exposição Mundial de 1998.

Mas nem tudo foi um mar de rosas: as primeiras queixas

Hoje, 20 anos depois, todos nos lembramos das coisas que aprendemos, experimentámos e vimos pela primeira vez. Todos sabemos do sucesso que foi a Expo.

Mas a verdade é que, nos primeiros dias, nas primeiras semanas, a coisa não correu lá muito bem…

Diz-se que “o que nasce torto, tarde ou nunca se endireita”. A Expo 98 foi a excepção que confirmou a regra.

O senhor do Teleférico e as crianças espanholas

Até setembro, trazemos os dias da Expo de volta à antena, numa espécie de visita ao Pavilhão do Passado.

Nesta viagem, sem guia, mas com roteiro, ouvimos hoje algumas das muitas crianças que passaram pela Expo 98 – crianças de todas as idades: desde alunos de uma escola espanhola… até ao Sr. Antunes, que se sentiu como uma criança a andar no teleférico da Expo… As palavras das crianças que visitaram da Expo 98… crianças em idade e crianças em espírito.

Não se esqueçam que as portas do Pavilhão do Passado estão abertas às vossas histórias, às vossas memórias: podem enviar fotografias, lembranças, vídeos, o que queiram, para o mail expo3@rtp.pt.

O que dizem os visitantes

A Antena 3 continua a assinalar os 20 anos da Expo 98, a Exposição Mundial de Lisboa que abriu as portas a 22 de maio de 1998.

Este ano, somos nós que abrimos a porta do Pavilhão do Passado, para lembrar as estrelas e as histórias da última exposição mundial do século XX.

Nestes últimos dias, já vimos como nasceu o símbolo da Expo e o Gil, já olhámos para o placar das informações e para a agenda de espectáculos, já encontrámos os Olharapos, andámos de teleférico e até já ouvimos o testemunho de um empregado da limpeza…

E hoje ouvimos o testemunho daqueles que fizeram da Expo 98 o sucesso que foi: os visitantes… Testemunhos de visitantes da Expo 98 vindos de todos os cantos do mundo…

Se também quiserem partilhar connosco o vosso testemunho, enviem as vossas histórias e memórias para o mail expo3@rtp.pt.

O Tenente das fardas e o Lewis do lixo

Nestes retratos diários, olhamos hoje para o guarda-roupa da Expo, para ouvir quem vestiu a farda… e quem a desenhou.

No dia do azeite, da oliveira, dos Oliveiras

Há uma semana, há exactamente uma semana, começámos a celebrar, aqui na 3, os 20 anos da Expo 98.  E ao oitavo dia, exactamente ao oitavo dia, a Expo celebrava o azeite, o olival, a oliveira.

29 de Maio de 1998 foi o Dia do Azeite na Expo. E foi o jornalista e escritor Nuno Rebocho que vasculhou a agenda do dia, regada a azeite, bom azeite…

Olharapos, Olharapas e Olhapins

Até ao final de setembro, abrimos o Pavilhão do Passado, para lembrar as histórias da última exposição mundial do século XX… mas também as suas estrelas.

Algumas dessas estrelas tinham nome esquisito e aspecto bizarro e apareciam onde menos se esperava…
Hoje olhamos para os… Olharapos.

Durante mais 4 de meses, os Olharapos fizeram as delícias dos visitantes da Expo 98. E esta semana estão de volta!  É isso mesmo, esta semana, também os Olharapos celebram os 20 anos da Expo. Até ao próximo sábado (2 de junho), eles andam de novo à solta pelo Parque das Nações… procurem-nos à noite: eles normalmente abrigam-se por baixo da pala do Pavilhão de Portugal…

Os palcos, os espectáculos e a agenda do dia

Por estes dias, a Antena 3 volta à beira-Tejo, ao palco da Exposição Mundial de Lisboa.

Diariamente, lembramos as datas, as histórias e as estrelas da Expo 98 – que todos os dias tinha uma agenda recheada de espectáculos.

Hoje vamos olhar exactamente para a agenda do dia 25 de Maio de 1998. Um piano disfarçado de arbusto a percorrer a fotografia do dia nesta viagem ao álbum de memórias da Exposição Mundial de Lisboa.

Preços, horários e outras informações úteis

Até ao final de setembro, a Antena 3 abre o Pavilhão do Passado e lembra as datas, as histórias e as estrelas da última exposição mundial do século XX.

E hoje lembramos também os preços, os horários e outras… informações úteis. Uma vista de olhos pelo “placard” das informações úteis da Expo 98.

A mascote: do nascimento ao baptismo

A Antena 3 abre o Pavilhão do Passado. Diariamente, até ao final de setembro, lembramos as datas, as histórias e as estrelas da Exposição Mundial de Lisboa, à velocidade de uma memória por dia.

Mas hoje voltamos ainda mais atrás no tempo. Hoje vamos a 1993…

Foi assim que nasceu e foi baptizado o Gil, a mascote da Expo 98, que hoje, 20 anos depois, faz parte da paisagem do Parque das Nações.

Foi mais uma viagem ao álbum de memórias da Exposição Mundial de Lisboa.

Da gala de abertura ao primeiro dia

Foi a 22 de maio de 1998 que abriu oficialmente ao público a Exposição Mundial de Lisboa, dedicada aos Oceanos.

20 Anos depois, a Antena 3 volta à Expo 98 para lembrar as datas, as histórias e as estrelas da última exposição mundial do século XX.

Até ao final de setembro, tiramos uma fotografia por dia. Esta é a primeira. E como não podia deixar de ser, começamos pelo princípio.

Uma primeira fotografia da Expo 98, 20 anos depois, num álbum de memórias aberto pelo Ricardo Sérgio e pela Filipa Ramos, que todos os dias, nos vão trazer os dias da Expo 98.