Destaques

Arthur Rimbaud: viver, viver, viver

Antes dos 21 anos, já tinha produzido uma das obras poéticas mais influentes do seu tempo. No auge de um período de criatividade explosiva, escolheu deixar de escrever.

A Obra Completa de Arthur Rimbaud, pela primeira vez integralmente em português, está agora editada pela Relógio d’Água (tradução de João Moita e Miguel Serras Pereira).

O editor Francisco Vale, que assina também o prefácio desta edição, conversa com a Mariana Oliveira sobre a vida e obra de um criador cuja influência — de Dylan a Patti Smith — estendeu tentáculos muito além da literatura.