Editor, diseur e agente provocador

Filho uma família tradicional do Porto. De porte franzino, baixo e sempre impecavelmente vestido, o olhar intenso, bigodes revirados à Dalí e uma pera, Ribeiro de Mello destacou-se também por ter uma personalidade excêntrica, irreverente e donjuanesca.

Em 1964 concretizou um conturbado recital de poesia na Sociedade Nacional de Belas-Artes, em que o os poemas declamados eram pontuados de acordo com a cronometragem dos aplausos do público. Amigo de Natália Correia, Mário Cesariny, Luiz Pacheco e outros intelectuais portugueses, foi o enérgico fundador das Edições Afrodite em 1965.

Publica obras polémicas e proibidas, com campanhas publicitárias provocadoras, que o levam a processos judiciais por ultraje aos bons costumes, como: o Kâma-Sûtra – Manual do Erotismo Hindu (1965), a Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica (1966) de Natália Correia e A Filosofia na Alcova (1966) do Marquês de Sade.