Empresário e patrocinador de artistas

Oriundo de famílias abastadas da Guarda, Alfredo Machado torna-se um empresário com atividade em Lisboa e a 13 de outubro de 1944 abre o Hotel do Império, projetado por Cassiano Branco.

Como proprietário e gerente é responsável pela dinâmica comercial deste hotel, frequentado pela alta sociedade, diplomatas, políticos e intelectuais. O hotel foi não só “palco de acontecimentos de carácter social e mundano, como de conspirações, excentricidades e escândalos”.

Personalidades como Manuel Fontes Pereira de Melo, Tomás Ribas, Francisco de Sousa Tavares, Sofia de Mello Breyner, Conde da Covilhã, Conde da Lousã, Patiño, frequentavam o hotel.

Quando Alfredo conhece Natália é viúvo e bem mais velho do que ela. São notáveis as cartas de amor da jovem Natália para Alfredo Luís Machado. A 31 de julho de 1953 casam-se e passam a residir a rua Rodrigues Sampaio na proximidade do hotel. Ainda na década de 50 foi cenário de conspirações políticas, com “reuniões secretas com o General Humberto Delgado, onde estiveram presentes Vera Lagoa e Natália Correia e muitos outros apoiantes, nos meses que antecederam as eleições de 1958.

O Hotel do Império era uma “extensão” da casa de Natália Correia: as célebres ceias que aí eram servidas vinham do Império do outro lado da rua e o ambiente intelectual, político e mesmo boémio que se viveu no hotel deveu-se, em parte, à assídua presença de Natália Correia e dos seus amigos.